Sugestões práticas para ter um estilo de vida sustentável em 2019

Dicas para resgatar o cuidado com a criação e buscar o estilo de vida que Jesus nos ensinou

Para resgatar o cuidado com a criação dado por Deus em Gênesis 2.15 e a buscar o estilo de vida que Jesus nos ensinou, a ONG A Rocha Brasil preparou uma série de sugestões práticas que dizem respeito ao nosso dia-a-dia em casa, no trabalho, na rua, na igreja ou nas compras. Confira e compartilhe.

Em casa

Economize água. Com a poluição das fontes, a escassez de água no planeta é uma preocupação mundial. Diminua o tempo do banho; feche a torneira enquanto escova os dentes; use regador em vez de mangueira; varra a calçada em vez de lavá-la.

Economize energia. Embora seja menos impactante do que a queima de combustível fóssil, o modo de produção da energia hidrelétrica, largamente usada no Brasil, também é desfavorável à natureza. Troque lâmpadas convencionais por lâmpadas eficientes; prefira aparelhos com o selo PROCEL (que indica menos consumo de energia); tire os aparelhos da tomada quando não estiverem sendo usados (inclusive o carregador de celular); e evite deixar equipamentos no modo standby (que ainda significa consumo).

Separe o lixo. O mau gerenciamento dos resíduos da atividade humana é uma das causas diretas do aquecimento global. Mesmo que a sua cidade não ofereça serviços de coleta seletiva, separe o lixo em casa e descubra para onde levar material reciclável como vidro, plástico, metal e papel. Tenha especial cautela com lixos poluentes como lâmpadas de mercúrio, pilhas e baterias usadas, que não podem ser misturados ao lixo comum.

Certifique-se da madeira. Na hora de comprar móveis de madeira, prefira aqueles que são certificados (selo FSC) e provenientes de florestas de manejo sustentável. Assim, você age diretamente pela preservação das florestas brasileiras.

Cultive plantas. No jardim, no quintal, na sacada, na sala do apartamento, no hall do prédio, na calçada — plantas significam mais qualidade do ar e menos poluição. Podem ainda ser fonte de alimentos frescos para quem mantém pequenas hortas em casa.

Faça compostagem doméstica. Restos orgânicos, como folhas e cascas de frutas e legumes, podem virar adubo natural para o seu jardim e de seus vizinhos.

Deixe terra à vista. Evite pavimentar todo o solo e, ao construir sua calçada, opte por materiais que permitam que a água os atravesse.

Seja solidário. Doe roupas, sapatos e objetos que não usa mais. Eles podem ser úteis para outras pessoas.

No escritório

Imprima menos. Seja criterioso na seleção de e-mails a serem impressos e só imprima o que for indispensável.

Reutilize papéis. Lembre que toda folha de papel tem dois lados. Faça blocos de nota com papéis usados e utilize novamente as folhas para imprimir no verso materiais só de leitura.

Compartilhe material. Adote uma caixa comum de materiais como canetas, lápis, clipes etc. Isso evita que cada pessoa compre uma nova caneta cada vez que não encontrar a sua.

Seja seletivo com o material de escritório. Papel reciclado, lápis de madeira certificada, canetas com componentes não-poluentes são opções de material de escritório produzidas com vistas a reduzir o impacto ambiental.

Dispense o copo descartável. Tenha sua própria caneca durável.

Use roupas adequadas à estação. No verão, vá trabalhar de roupas leves e incentive isso em seu local de trabalho. Se o seu cargo é de chefia, libere os subordinados de usar trajes formais diariamente nessa época do ano. Assim, o ar-condicionado pode funcionar em potência mais baixa, economizando energia e esquentando menos o mundo lá fora.

Na rua

Caminhe e pedale. Além de fazer bem à saúde, você economiza e não polui.

Compartilhe caronas. Andar de carro sozinho é injusto quando se considera o impacto do seu “conforto” sobre o planeta.

Use transportes coletivos. Além de economizar combustível e estacionamento, você ainda pressiona os governos a aperfeiçoarem essa alternativa.

Não jogue lixo no chão. Se necessário, guarde-o até encontrar um coletor apropriado.

Na igreja

Dispense o copo descartável. Leve sua caneca durável para os eventos da igreja.

Imprima o boletim da igreja em papel reciclado e incentive que cada família pegue apenas um exemplar.

Colabore no processo de sensibilização e mudanças práticas.

Incentive a inclusão da questão ambiental nos estudos bíblicos e mensagens.

Nas compras

Desembale. Evite o excesso de embalagens. A energia usada para fabricar uma única lata de refrigerante é a mesma que a sua televisão consome se passar 172 horas ligadas.

O queijo fatiado não precisa de bandeja de isopor nem de filme plástico. E por que usar uma sacola de plástico para cada três produtos? Para pequenas compras, leve sua sacola de casa.

Use retornáveis. Não compre descartáveis. Sejam copos, pratos ou garrafas, dê preferência a itens cujo fabricante prevê a sua reutilização. Volte a usar garrafas retornáveis.

Prefira produtos locais. Além de mais frescos, os alimentos produzidos em sua região significam um modo de produção menos impactante e menos emissão de gases no processo de transporte. Uma boa opção é frequentar as feiras livres.

Consuma menos. Repense seu calendário de compras e evite comprar alimentos que estragam rápido. Isso significa menos idas ao supermercado, menos queima de combustível fóssil e menos consumo irracional. Antes de comprar qualquer coisa, pergunte-se se você realmente precisa daquilo. Não compre o que não for necessário e cuide do que vai fazer com o lixo produzido pela sua compra.

Imite Jesus Cristo. Seja simples! Simplifique.

Nota: Extraído do livro “Jesus e a Terra: A Ética Ambiental nos Evangelhos”, de James Jones, editora Ultimato. Reproduzido com permissão.

Comments

comments

Junte-se à campanha

Por favor, acrescente seu nome para receber atualizações por e-mail e fazer parte da campanha!